“Oh lala, Dani!” e sua digitalização express
10 Set 2021
Escola de línguas curitibana adotou modelo 100% online durante a pandemia, contando com os serviços de pagamento do PayPal
Por PayPal Brasil
Robinson Steven, CEO da “Oh lala, Dani!”

O grande diferencial da escola de línguas “Oh lala, Dani!” era a experiência em sala de aula. Mas aí veio a pandemia. As aulas forçosamente passaram para o ambiente online, um desafio que teve que ser encarado sem muito planejamento, na base da experimentação e da melhoria constante. Hoje, a ameaça ao negócio se transformou em oportunidade, com o fim das barreiras geográficas que o modelo presencial impunha.

Como muitos empreendedores brasileiros, os donos da “Oh lala, Dani!” tiveram que se adaptar rapidamente e, por isso, convidamos eles para compartilhar essa experiência aqui. Antes, deixa a gente te contar um pouco mais sobre a empresa.

Tudo começou com a professora de francês Daniela de Almeida Santos, que fez sucesso na internet compartilhando notícias e artigos que ajudavam seus alunos a aprender o idioma de forma dinâmica e divertida. Eram o blog e a página no Facebook “Oh lala, Dani!”.

Em 2016, Daniela se uniu aos sócios Robinson Steven e Lucas César Lourenço de Moraes para criar uma escola de francês com o mesmo nome, focada em experiências e competências que ajudavam os alunos a ter um uso prático da língua. Tudo ia bem até  a COVID-19 chegar por aqui.

Para entender como foi a migração do modelo de negócios, conversamos com Robinson, CEO da “Oh lala, Dani!”, que compartilhou conosco como o PayPal agilizou os processos operacionais da empresa e proporcionou segurança para tratar das operações financeiras do dia a dia.

Como o PayPal apoiou o negócio?

Realizar pagamentos no exterior é algo que complica a vida de todos os brasileiros, ainda mais quando você tem fornecedores ou parceiros em outros países. Porém, o PayPal soluciona todas as nossas questões quanto a isso, pois é amplamente aceito em outros países e podemos contar com a segurança e a facilidade de fazer pagamentos.

O que você espera do e-commerce um ano e meio após o início da pandemia?

Nosso modelo presencial sempre foi muito forte. Mas a pandemia nos permitiu mudar o formato para 100% online e, com isso, a barreira física se extinguiu. Hoje, temos alunos recorrentes de países como Portugal, EUA e até mesmo o Japão querendo aprender o idioma francês com a nossa metodologia. Erramos, aprendemos e entregamos experiências incríveis para os clientes. Acreditamos que a jornada do consumidor e seus hábitos mudaram. Hoje, o online e o off-line estão muito mais juntos do que em qualquer outro momento.

Como os empreendedores se beneficiam com o e-commerce?

Se pudesse resumir em uma única palavra, com toda certeza seria “escala”. Estar presente e fornecer soluções para seu cliente 24 horas por dia e sete dias por semana é a grande vantagem do e-commerce. E não é só na questão de vendas, mas também de aprendizados. Uma das vantagens de ter um e-commerce é poder testar, errar e aprender em uma velocidade muito mais rápida.

Quais aprendizados você pode compartilhar com aqueles que já empreenderam ou desejam empreender?

O começo é muito mais simples do que você imagina. Temos, por natureza, a tendência a sermos perfeccionistas e visualizarmos um super produto que só irá ao mercado quando estiver pronto. Porém, a realidade é que podemos começar apenas com o que temos e somos. Vale lembrar que todos possuímos uma curva de aprendizagem e quanto mais nos dedicarmos a algo, mais melhoraremos. Portanto, ninguém nasce profissional nem pronto.

 

Mantenha-se atualizado

Inscreva-se para receber as últimas notícias no seu e-mail.

Inscreva-se