Vendas Cross Border: Como saber se sua empresa está pronta para exportar?
01 Ago 2022

Confira algumas dicas de especialistas para saber se faz sentido a sua empresa  expandir os negócios para o mercado internacional

Por: payPal Brasil

Internacionalizar o negócio é um passo importante na trajetória de qualquer empresa. Antes de  tirar o plano do papel é necessário fazer um diagnóstico tanto da empresa quanto do mercado para onde se deseja vender. Para ajudar empresários a iniciarem essa jornada e aproveitarem as oportunidades, convidamos Guilherme Kruger, co-CEO da Avanti, Sophia Cavalcanti, consultora de internacionalização do Sebrae-SP, e José Carlos Souza Filho, professor doutor de finanças corporativas da FIA Business School, para dividirem dicas sobre esse tipo de comércio. Com planejamento e informação, é possível colher bons resultados.
 
Esteja atento às regulamentações
 
Informalidade é um termo que não existe no cross border. Empresas de qualquer porte podem exportar? Sim, inclusive quem é microempreendedor individual (MEI). Mas é indispensável verificar se está tudo certo com a documentação da empresa. A consultora do Sebrae-SP reforça que profissionalizar o processo é fundamental. “É importante frisar que a exportação não deve ser encarada como uma atividade esporádica, por isso é preciso buscar ter uma continuidade saudável e sustentável”, diz. Sendo assim, uma das primeiras tarefas do empreendedor que deseja começar a exportar é pesquisar, além de realizar todos os registros necessários. Isso vale tanto para o Brasil, como para o país onde se deseja vender. 
 
Conhecimento é poder
 
Desenvolver análises aprofundadas de mercado é essencial para reduzir possíveis riscos, antever os desafios e traçar uma estratégia para superá-los.  O ponto de partida pode ser procurar responder à seguinte pergunta: o que faz os consumidores adquirirem produtos importados?
 
O Relatório Comércio sem Fronteiras, do PayPal, revelou que as três principais razões da escolha do consumidor por produtos importados são o preço (47%), seguido por encontrar produtos que não estão disponíveis localmente (44%) e a descoberta de novos itens (39%). Com base nisso, o empresário que deseja iniciar uma operação cross border poderá identificar em qual destes atributos o produto que ele deseja vender pode se encaixar e, com isso, colocar seus planos em prática.
 
Guilherme Kruger, da Avanti, destaca a importância de olhar para as diferenças culturais e mapear as oportunidades que cada país pode oferecer. “É preciso entender hábitos de consumo, perfil, estilo de vida, entre outras coisas para se adaptar ao local. O desafio global é bem amplo e passa muito por estudar o mercado e entender comportamento para saber como você vai navegar em cada um desses mares”, conta. 
 
Dados do PayPal apontam que os países que mais compram de pequenas e médias empresas sediadas no Brasil são Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Portugal e Peru. Entre as categorias mais compradas estão moda, acessórios e beleza. O Relatório de Comércio sem Fronteiras traz ainda alguns dados que ajudam a desvendar um pouco mais esses mercados. De acordo com a pesquisa, os produtos mais procurados pelo público da América do Norte (Estados Unidos e Canadá) são itens de vestuário e brinquedos. Já os países europeus (Reino Unido, Itália, Espanha e Alemanha), por sua vez, dão preferência para compras realizadas em marketplaces.
 
Capacidade operacional 

 
Após definir o mercado para onde a sua empresa vai começar a exportar, é hora de avaliar a parte prática. A consultora do Sebrae-SP pontua que é fundamental analisar se a empresa será capaz de atender à demanda externa do ponto de vista operacional. “Leve em consideração a sua capacidade produtiva, o perfil de seus produtos e preços praticados, estratégia de marketing/vendas, tarifas, por exemplo, desenvolvendo uma estratégia de entrada estruturada”, conta Sofia Cavalcanti. 
 
Ela indica que a empresa programe os gastos para evitar contratempos. “Qualquer expansão requer investimento, independentemente do segmento de atuação e do porte da empresa, sendo sempre importante que o empresário se cerque de informações que embasem a sua decisão e ajudem a diminuir os riscos de sua escolha. Um bom começo é o desenho de um planejamento e estratégias, além de uma boa gestão do capital de giro e controle da saúde financeira”, recomenda Cavalcanti. 
 
O professor José Carlos Souza Filho pontua três razões pelas quais a empresa precisa estar em um grau consistente de maturidade. A primeira delas é a capacidade de abastecimento. De acordo com Souza Filho, o empresário deve manter-se atento em termos de quantificação de estoque e logística, incluindo a reversa (quando por algum motivo o produto precisa ser devolvido ao fornecedor). O segundo ponto ressaltado é o capital de giro, ele explica que este é um recurso indispensável para a saúde financeira da empresa. “[O capital de giro é importante] para poder aguardar prazos de pagamentos mais longos e margens menores”, descreve. Por fim, o doutor em finanças corporativas ainda destaca a necessidade de estudar as normas do país para onde se deseja exportar. “Conheça o funcionamento dos mercados e da legislação de exportação dos locais onde a empresa vai começar a atuar”, conclui.
 
Encontre o parceiro ideal

O co-CEO da Avanti destaca que a escolha dos parceiros é fundamental para colocar a internacionalização em prática. “É preciso ter um bom parceiro logístico, que eventualmente já tenha uma ferramenta que mostre para o cliente no carrinho qual vai ser o total do pedido, já considerando impostos”, conclui. Realizar envios para outros países pode ser um obstáculo, mas já existem soluções no mercado capazes de simplificar o processo, como a ShipSmart
No que tange meios de pagamentos essenciais para concretizar uma venda cross border, o consumidor aponta cartão de crédito e PayPal como métodos preferenciais para esse tipo de transação, ambos com 29% das respostas na pesquisa revelada no Relatório Comércio sem Fronteiras 2022. O PayPal tem 429 milhões de usuários no mundo e tem como principais benefícios, na visão do consumidor a segurança (59%), a conveniência (42%), a proteção de compras (40%) e a rapidez no processamento (40%). 
Quer saber mais sobre o perfil dos consumidores que realizam compras de sites internacionais? 
Acesse aqui a íntegra do Relatório Comércio sem Fronteiras 2022 do PayPal e conheça mais sobre 13 mercados internacionais, incluindo Alemanha, EUA, Reino Unido, França, Itália, Canadá, Austrália, Espanha, México, China e Japão.
#SejaGlobalComPayPal #ComercioSemFronteiras

Artigos Relacionados
Blog

Acesse aqui o histórico de notícias do PayPal. 

 

Middle block

Empresa de acessórios de couro atende consumidores que buscam alta qualidade e design. Conheça mais uma história do PayPal Sessions

09 Ago 2022

Confira algumas dicas de especialistas para saber se faz sentido a sua empresa expandir os negócios para o mercado internacional Por: payPal Brasil Internacionalizar o negócio é um passo...

01 Ago 2022

Empresa brasileira descomplica a logística para o exterior com soluções que agrupam o valor do frete, impostos e taxas alfandegárias

28 Jul 2022

Conversamos com empresários que já internacionalizaram seus e-commerce para saber o que é mais importante levar em conta na hora de começar a exportar Por: PayPal Brasil Cada vez mais, os...

25 Jul 2022

Ampliar os mercados de atuação pode trazer uma série de benefícios e oportunidades para os pequenos e médios empreendedores que procuram intensificar as vendas Por: PayPal Brasil Você já...

21 Jul 2022

Exportação começou durante a pandemia e, hoje, representa 30% do faturamento mensal empresa

18 Jul 2022
Mantenha-se atualizado

Inscreva-se para receber as últimas notícias no seu e-mail.

Inscreva-se